A FINEP anunciou nesta segunda-feira (6) a volta do seu escritório a Florianópolis.

A FINEP anunciou nesta segunda-feira (6) a volta do seu escritório a Florianópolis, durante o terceiro Encontro Finep para Inovação, realizado na Federação das Indústrias do Estado de Santa Catarina (FIESC).

Durante o encontro, a FINEP assinou ainda memorandos de entendimento com a Agência de Fomento do Estado de Santa Catarina (Badesc) e o Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE) para o desenvolvimento de novos produtos e cooperação técnica entre as instituições.

O evento também contou com uma palestra do presidente da Fapesc, Sergio Luiz Gargioni, sobre inovação e desenvolvimento regional; entrega de placas de reconhecimento a empresas inovadoras do Sul. Nesta terça-feira (7) o encontro segue com a realização de mesa redonda com empresas e instituições locais já apoiadas pela FINEP, que compartilharão suas experiências.

A reinstalação da agência no Estado é uma antiga reivindicação da FIESC. No evento, a Federação das Indústrias foi representada pelo gerente executivo do IEL Natalino Uggioni.

O ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, afirmou que “não poderia ter sido mais adequada a escolha de SC, pois o Estado é referência para o Brasil no que diz respeito aos seus investimentos e resultados em desenvolvimento, inovação e na pesquisa”. O escritório, que funcionará na sede da Fapesc, aproximará os investidores dos financiamentos, afirmou o ministro. “Estamos firmando nos próximos dias o aporte de US$1,5 bilhão de dólares do BID para ciência, pesquisa e inovação. Com certeza teremos trabalhos desenvolvidos aqui no escritório de SC”, destacou Kassab.

 

Ao lado do ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, governador de Santa Catarina Raimundo Colombo entrega troféu para Denise Karst Feliz, da empresa Intradebook. Foto: Paulo Luís Cordeiro/ FAPESC/ Divulgação

 

Marcos Cintra, presidente da FINEP, afirmou que SC passa a ser agora a sede da região Sul da entidade e que a escolha se deu pela importante posição que o Estado ocupa na captação de recursos. “Estar presente num Estado como SC é uma obrigação para uma entidade como a FINEP, que se dedica à inovação, ciência, tecnologia e, sobretudo, à aproximação do governo e das empresas em prol da economia brasileira”, afirmou. “A região Sul do Brasil sempre foi para nós da FINEP um exemplo de vontade de inovar, tanto que o Sul é a segunda maior região a captar recursos. SC tem tido uma performance de inovação notável. A indústria tem sido um dos vetores de maior dinamismo tecnológico entre todas as outras atividades. O Estado tem um dos mais pujantes setores de tecnologia da inovação, sem falar do agronegócio de base tecnológica”, salientou Cintra.

Novas linhas de financiamento – A financiadora apresentou novas iniciativas de apoio à inovação: o FINEP Conecta (para aproximar empresas e universidades); o FINEP Startup (que pretende aportar recursos e conhecimento com participação no capital de empresas em estágio inicial); e o Programa de Telecomunicações (linha de financiamento exclusiva para aquisição de equipamentos de telecomunicação 100% nacionais).

Com R$ 500 milhões disponíveis, a mais nova linha da financiadora, batizada de FINEP Conecta, oferece melhores condições de apoio a empresas que investirem em projetos em conjunto com Instituições de Pesquisa Científica e Tecnológica (ICTs) e universidades. O programa prevê mecanismos como taxas de juros menores e prazos e carências mais longos. Além disso, dependendo do grau de inovação da proposta, a FINEP pode financiar até 100% do projeto – que deve ter valor mínimo de R$ 5 milhões. O prazo de pagamento do empréstimo chega a 16 anos.

O programa FINEP Startup pretende alavancar empresas que estejam em fase final de desenvolvimento do produto, para colocar no mercado, ou que precisem ganhar escala de produção. Para isso, a financiadora vai investir até R$ 1 milhão em cada startup selecionada. Uma nova rodada para submissão de propostas será aberta em janeiro de 2018.

Já a linha de financiamento para a aquisição de equipamentos de telecomunicação 100% nacionais busca auxiliar a retomada do crescimento do setor no País. Os recursos, da ordem de R$ 630 milhões, são reembolsáveis e serão disponibilizados via Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações (Funttel).

Além dos novos produtos, a FINEP atualizou suas condições operacionais, em agosto, por meio da qual passou a oferecer prazos de pagamento de até 12 anos e carência de até quatro anos, dependendo do grau de inovação do plano apresentado.